quinta-feira, 23 de julho de 2009

CONCEITOS UTILIZADOS EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL



Essa sou eu!

Quando desenvolvemos projetos ou atividades de educação ambiental ficamos tão presos aos termos técnicos e modismos que freqüentemente nos esquecemos que quem não é minimamente informado sobre o assunto não tem a menor idéia do que estamos falando. E ainda há o perigo de sermos mal interpretados, o que é bem pior.

Palavras como sustentabilidade, conscientização, Agenda 21, Eco 92, Carta da Terra, interdisciplinaridade, ecossistemas, resíduos sólidos, qualidade de vida, meio ambiente são muitas vezes incompreendidas. E palavrinhas mais simples como natureza, cultura,
Definir e esclarecer conceitos acelera o entendimento das propostas das atividades, integra e ajuda no processo de comunicação formal e informal do grupo. E o melhor: evita mal entendidos e interpretações dúbias sobre os objetivos e resultados que se pretende alcançar com tais atividades, ou seja, aumenta a satisfação em participar por consequência a produtividade em grupo! Bom, por hoje é isso. Bom final de semana pra vocês!
recursos naturais, poluição, devastação, entre outras, as vezes causam conflitos quanto a sua representação.

Isso pode parecer um assunto banal, mas eu garanto que não é! Eu mesma sofri com isso quando comecei a freqüentar os meus primeiros cursos livres de meio ambiente. Quando ouvi desenvolvimento sustentável pela primeira vez eu pensei: Meu Deus, o que será isso? Eu sempre anotava uma interrogação ao lado das palavras “estranhas” para pesquisar o que era.

No caso acima citado eu pesquisei e li o seguinte: processo que assegura uma gestão responsável dos recursos do planeta de forma a preservar os interesses das gerações futuras e, ao mesmo tempo atender as necessidades das gerações atuais. E pensei: IMPOSSIVEL, ISSO NÃO CABE NO QUE ESTOU ESTUDANDO. E fiz a minha própria interpretação do que era no contexto do curso que eu estava fazendo: causar menor impacto possível no processo de desenvolvimento para que as próximas gerações encontrem um planeta habitável futuramente.

Por essas e outras (muitas outras), hoje, antes de começar qualquer atividade de educação ambiental, seja palestra, workshop, encontro ou mesmo um bate papo com um grupo que não seja de educadores ambientais, a minha primeira ação após me apresentar é: definir conceitos que serão trabalhados no dia. Coloco as palavras soltas e definimos em grupo o que ela significam até surgir um consenso sobre elas. Isto é rápido e ajuda também a integração do grupo.

Explicar de forma didática documentos e fatos históricos como a Eco 92, a Carta da Terra e Agenda 21 é um desafio que também se faz necessário. Tanto quanto definir em grupo, por exemplo, o que é natureza, qualidade de vida, poluição. Cada um tem a sua visão e sua convicção. As pessoas geralmente associam a palavra natureza as florestas, a poluição ao ar e água contaminados, a qualidade de vida a ter dinheiro. Porém nós somos natureza, a poluição pode ser também do solo, visual, sonora e qualidade de vida pode ser viver em harmonia.

6 comentários:

Renata (impermeável a) disse...

esta preocupação é comum sempre quando vamos a palestra!

Mas, o meio ambiente tem palavras tão gastas e cliches que acho que até quem as usa sempre nao sabe o significado.

beijos.

Rosalvo disse...

Creio que esclarecer os conceitos e seus significados é muito importante. Portanto, sem prejuízo dos consensos obtidos em cada palestra acerca do sigificado das palavras utilizadas em educação ambiental, é necessário que organizemos estes conjunto de significados num livro. Fica aí a sugestão de um livro ainda a ser escrito.

Hegli disse...

Oi Renata,
Essa “preocupação” tem de ser sempre levada em conta para que a atividade ou palestra seja bem aproveitada e dê resultados... comunicação, sempre!
Bj
Hegli

Hegli disse...

Bem vindo Rosalvo,
Durante minha pós em educação ambiental, fiz muuuuuuuuuuita pesquisa, parte dela em livros dos mais renomados autores contemporâneos, feras na área e encontrei diversos significados para várias palavras e termos usados no dia a dia.
Em algumas dessas publicações sobre meio ambiente, os autores citam mais de um significado (além do literal), colhido de várias fontes para alguns conceitos, fornecendo material para que o leitor possa tirar a sua própria conclusão.
Mas não sei se um livro só sobre significados poderia surtir o efeito desejado se pensarmos que atualmente há três vertentes contemporâneas distintas em educação ambiental: a conservacionista, a comportamental e a socioambiental, cada uma com uma linguagem e objetivos próprios. Haveria ainda muita duvida sobre qual o significado mais adequado.
Mas isso é assunto para um próximo post...
Continue colaborando na discussão e obrigada por participar.
Hegli

Luciana Gomes disse...

Olá Hegli,

Seu texto é bastante simples e esclarecedor. Um bom subsídio para um melhor entendimento dos termos. Valiosa a sua contribuição, obrigada!

Luciana Gomes

Hegli disse...

Oi Luciana!! Seja bem vinda! Continue visitando e contribuindo para que possamos trocar informações e experiências deste assunto tão falado e tão pouco explorado.
Se quiser receber os emails de atualização do blog me avise pelo heglisk@yahoo.com.br.
Abraços
Hegli