quarta-feira, 20 de março de 2013

PLANEJAMENTO, DESENVOLVIMENTO E GESTÃO DA ÁGUA NO DIA A DIA

Ontem participei do Seminário Internacional sobre Reúso de Água em SP e o assunto principal foi o “planejamento, desenvolvimento e gestão da água” na indústria. Mas o tema não se aplica somente para grandes e pequenas empresas. Ele também vale para escritórios, escolas e até para nossas residências e eu garanto, não é nada difícil.

O PLANEJAMENTO: Em residências o planejamento pode começar e ser feito ao analisar as contas de água, criando um cronograma ou uma tabela, e traçar uma meta realista a ser alcançada na redução do consumo. Não que seja imprescindível definir metas e índices de consumo de água, porém é recomendado e pode agir como um grande incentivo para todos que convivem no lar. Quando se tem uma meta, fica mais claro aonde se quer chegar e como fazer para que isso ocorra.

Fazer um check list com melhorias nos equipamentos como torneiras, válvulas, registros, chuveiro é de extrema importância. Essas melhorias vão impactar diretamente na conta de água, acredite. E pode-se adicionar uma previsão para o caso de troca ou regulagem desses equipamentos, por exemplo, trocar a torneira da cozinha que não fecha tão bem pode ser menos urgente que mandar regular a válvula da descarga que desperdiça litros e mais litros de água a cada descarga. Colocar as previsões das ações com datas e cotações pode ajudar bastante nesse processo.

Esses são exemplos de coisas que fiz na minha casa, mas cada um pode definir mais ou menos metas e itens no planejamento de sua própria casa, escritório ou mesmo na empresa. Finalizando o planejamento, partimos para o desenvolvimento.

O DESENVOLVIMENTO: O desenvolvimento consiste em agir, ou seja, corrigir os vazamentos, trocar equipamentos hidráulicos obsoletos, corrigir o excesso de vazão em torneiras e válvulas de descargas e outros itens conforme listado no planejamento. É preciso também atentar para coisas simples e que farão enorme diferença no consumo: utilizar aeradores (ou arejadores) nas torneiras, fechar um pouco o registro quando a pressão da água for muito forte, reservar parte da água da chuva e reaproveitar a água da máquina de lavar para regar plantas e lavar o quintal podem gerar grandes economias na conta do mês. E por fim e não menos importante, a gestão.

A GESTÃO: Administrar o check list não é tão difícil quando as prioridades já foram definidas, a cotação dos gastos feita, uma previsão de trocas e acertos nos equipamentos agendada e as contas já foram analisadas e transcritas. Na parte da gestão, considero como  o maior desafio administrar as pessoas que convivemos e convencê-las do intuito da ação. Uma parte importantíssima em todo esse processo é buscar aliados para o uso racional da água, o que não significa fazer um racionamento. Posturas inflexíveis e radicais podem afastar pessoas. Usar racionalmente é usar com sabedoria um bem tão precioso e tão escasso que é a água potável. No final, o uso racional coletivo pode evitar um futuro racionamento em época de estiagem. Outros itens da gestão são fazer o acompanhamento das contas de água, manter os equipamentos regulados e controlar os vazamentos tao logo estes sejam percebidos.

Quem se anima em começar o próprio planejamento já? Me contem como foi.




Um comentário:

Simone D Alevedo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.